quinta-feira, 31 de março de 2011

quarta-feira, 30 de março de 2011

Um bom amigo.

Deslizava pelo chão como um cisne trajando o uniforme de sua morada, com os cabelos presos em uma trança lateral, o sorriso não dançava nos lábios como uma garota querendo chamar atenção dos rapazes,até porque já tinha perdido as esperanças. Sabia que ia ficar sozinha a maior parte do tempo,por isso levou consigo um livro, talvez seu preferido, de capa dura e com muitas folhas. Ela tinha os olhos duros feito pedra; não expressavam empatia. Até que se sentou no banco e abriu o livro. Rir? Só se estivesse bem acompanhada e dessa vez estava. Seus olhos devoraram as linhas daquela página do romance, isso a fez inclinar a cabeça pra trás soltando sua gargalhada. Tentou se recompor,mas havia achado aquilo tão engraçado. Viu como única saída apoiar o livro nas pernas e o cotovelo,levando as mãos sobre a testa. Ela ria baixo agora. Numa tentativa de não chamar atenção dos demais. A jovem tinha esse defeito. Sua risada era engraçada, como um som de algum animal estranho. Controlou a gargalhada terminando a leitura daquela página ainda fazendo um barulho estranho com os lábios; com a pontinha do dedo virou a página e com os olhos estudou o pátio, aspirando fundo o ar e o soltando pausadamente. Podia sentir olhares cravando em si,por isso voltou a ler. Na verdade, descansou a vista nas letras fingindo que lia. Sentia-se incomodada com aquela situação. Disfarçadamente subiu um pouco olhos para encará-los, deixando os cantinhos dos lábios fazer sua boca num sorriso doce e meigo. Aproveitou para consultar o relógio de pulso e seu calendário de horários das aulas. É, agora se iniciava mais uma aula. Enfiou o livro dentro da bolsa-carteiro e fechou o zíper, assim colocou-se em pé rumo a sala da próxima aula.

terça-feira, 29 de março de 2011

(Im)paciência e compreensão.

Entenda: compreensão e paciência são coisas distintas. Eu sou impaciente,mas extremamente compreensiva.

Amargo. Amar-go.

Sabe quando fui saber o que é amargo? Quando eu resolvi que queria amar.

segunda-feira, 28 de março de 2011

I got trouble ♫

Tenho que aprender a por ponto final nas minhas fases. Se for ponto parágrafo melhor. Tenho que aprender a finalizar um capitulo e a cima de tudo, iniciar outro. Tenho que saber a hora que o primeiro livro da minha saga acaba. Por que eu tenho que complicar tudo? Por que eu SEMPRE sou um imã para problemas? E é nisso que minha vida fica sem virgulas, totalmente sem pausas. E depois ainda acham que não tenho motivos pra ser meio doida.

sábado, 26 de março de 2011

Eu mesma.

Simples, meiga, gentil, carinhosa... Isso só quando vou com a cara da pessoa. E quando não vou também. Por favor, não me considere falsa. Não é a minha intenção. Eu já fui divertida, já fui mais engraçada. Ah,dá um desconto. Só tenho dezesseis anos. Posso mudar muito ainda.

Como diz a diva da literatura brasileira Clarice Lispector:

Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Entenda se conseguir.

Então decidi amar. Não digo um amor entre homem e mulher; não digo um amor entre mãe,pai e filha...Eu vou além. Não estou falando do amor próprio e nem do amor a Jesus (ou qualquer que for da sua religião), nem a Deus (sou politeísta,rs.) Estou falando de um amor maior, bem maior. Um amor que só cabe a mim e as coisas que vejo,falo e faço. Estou falando que decidi amar tudo,mas nem todos.